o beabá da poesia – micro-estruturas 2

o segundo elemento que compõe as micro-estruturas dos ritmos verbais são as rimas, na perspectiva de armindo trevisan.

estamos falando de uma identidade de sons que se formam a partir da repetição de sons semelhantes, segundo norma goldstein, em diferentes locais dos versos (final, interior, posições variadas etc.)

há, fundamentalmente, dois tipos de rimas: consoantes (igualdade ou semelhança de som a partir da última vogal tônica do verso) e assonantes (há igualdade de som apenas em relação à vogal tônica do verso).

mas não é só.

pode haver rimas com a) repetição da mesma consoante (aliteração); b) rimas ricas e pobres (será rica quando a identidade é de classes diferentes, por exemplo, adjetivo/substantivo; pobre, quando for igual (adjetivo/adjetivo); c) rimas emparelhas (duas a duas – aa/bb/cc); d) alternadas (ab/ab), e) opostas (quando o primeiro verso rima com o quarto); f) misturadas (distribuição livre das rimas); g) interiores/leoninas (quando a rima está, a um tempo, no interior e na extremidade do verso) e, finalmente, h) rimas com eco (cujo efeito, como o nome sugere, provoca um eco)

Sobre Demétrio de Azeredo Soster

Demétrio de Azeredo Soster é Pós-doutor pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos, 2016). Possui graduação em Jornalismo (Unisinos, 1990), mestrado em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs, 2003) e doutorado em Ciências da Comunicação pela Unisinos (2009). Pesquisa midiatização, narrativas, jornalismo e literatura. É professor permanente do Programa de Pós-graduação em Letras – Mestrado e Doutorado e do Curso de Comunicação Social da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Coordena a Rede de Pesquisa Narrativas Midiáticas Contemporâneas (Renami) da SBPJor, que fundou. Integra os grupos de pesquisa do CNPq Midiatização das práticas sociais (Unisinos) e Grupo de estudos sobre narrativas literárias e midiáticas (Genalim/Unisc). É editor da revista Rizoma: midiatização, cultura, narrativas - Qualis B2, e diretor-editorial da Editora Catarse Ltda. É membro-fundador da Academia Santa-cruzense de Letras (ASCL) e da Associação Santa-cruzense de Escritores (ASCE). É autor, em literatura, de Tempo Horizontal (Edunisc, 2013); Livro de Razão (Insular, 2014); Quase Coisa (Catarse, 2015); Pérolas de Pedro (Catarse, 2015); Livro das Sombras, Jazz & Outros Poemas (Catarse, 2016); Operação Banda Oriental (Catarse, 2017); Pérolas de Pedro: 2ª edição revisada e ampliada (Catarse, 2017); Operação Valparaíso (Catarse, 2018); Honkyoku (Catarse, 2019); e, finalmente, Operação Carretera Austral. (Catarse, 2019, no prelo.) Contato deazeredososter@gmail.com Ver todos os artigos de Demétrio de Azeredo Soster

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: