Arquivo do autor:Demétrio de Azeredo Soster

Sobre Demétrio de Azeredo Soster

Demétrio de Azeredo Soster é Pós-doutor pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos, 2016). Possui graduação em Jornalismo (Unisinos, 1990), mestrado em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs, 2003) e doutorado em Ciências da Comunicação pela Unisinos (2009). Pesquisa midiatização, narrativas, jornalismo e literatura. É professor permanente do Programa de Pós-graduação em Letras – Mestrado e Doutorado e do Curso de Comunicação Social da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Coordena a Rede de Pesquisa Narrativas Midiáticas Contemporâneas (Renami) da SBPJor, que fundou. Integra os grupos de pesquisa do CNPq Midiatização das práticas sociais (Unisinos) e Grupo de estudos sobre narrativas literárias e midiáticas (Genalim/Unisc). É editor da revista Rizoma: midiatização, cultura, narrativas - Qualis B2, e diretor-editorial da Editora Catarse Ltda. É membro-fundador da Academia Santa-cruzense de Letras (ASCL) e da Associação Santa-cruzense de Escritores (ASCE). É autor, em literatura, de Tempo Horizontal (Edunisc, 2013); Livro de Razão (Insular, 2014); Quase Coisa (Catarse, 2015); Pérolas de Pedro (Catarse, 2015); Livro das Sombras, Jazz & Outros Poemas (Catarse, 2016); Operação Banda Oriental (Catarse, 2017); Pérolas de Pedro: 2ª edição revisada e ampliada (Catarse, 2017); Operação Valparaíso (Catarse, 2018); Honkyoku (Catarse, 2019); e, finalmente, Operação Carretera Austral. (Catarse, 2019, no prelo.) Contato deazeredososter@gmail.com

momento premiação

o livro “o sonho da sombra” (catarse, 2020) ainda nem está pronto e já começa a demonstrar alguma vitalidade desde agora.

refiro-me ao 1º lugar que o poema “morte anunciada” conquistou no 15º concurso literário mario quintana, promovido pelo sindicato dos trabalhadores na justiça federal do estado (sintrajufe/rs).

momento de muita alegria, realizado na noite do dia 18/10/2019, que eu, claro, comemoro.

PremioMorte anunciada


momento feira do livro

Lançamento feira do Livro de Santa Cruz do Sul

 


exibimentos

vez que outra, as deferências que recebo – são pouco mais de duas dezenas, agora – fazem-me acreditar que minha poesia tem alguma relevância.

é o que sugere e-mail que recebi ontem, do departamento de cultura do sindicato dos trabalhadores do judiciário federal e do ministério público da união, o sintrajufe/rs, dizendo que um poema de minha lavra – “morte anunciada” – foi selecionado ao 15º concurso literário mario quintana, por eles promovido todos os anos.

“morte anunciada” integra o livro que estou preparando para 2020; que, de certa forma, vai representar uma espécie de marco conceitual na minha produção estética.

(quem viver, verá; estejam preparados.)

significa, de saída, que estou dentro; que meu poema integrará coletânea por eles promovida e que resta, agora, saber em que lugar ficarei – 1º, 2º, 3º ou menção honrosa, o que só saberei dia 18 de outubro, em solenidade na sede do sintrajufe/rs, em porto alegre.

mas o que importa, mesmo, vamos combinar, é a obra, e onde ela pode chegar tendo sido selecionada.

sim, sou poeta. e insisto.

Morte anunciada


lançamento do honkyoku

o sábado pela manhã foi todo ele dedicado ao lançamento do honkyoku (catarse, 2019), meu novo livro de poemas.

a função se deu na iluminura, uma cafeteria descolada que temos aqui no centro da cidade.

e muitas pessoas foram lá para um abraço.

e eu fique, claro, muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito feliz por tudo isso estar acontecendo aqui e agora.


um dia muito especial

hoje foi um dia muito especial aqui em santa cruz do sul (rs), onde moro.

é que eu, mais os poetas edison botelho e marli silveira, mediados pelo igualmente poeta mauro ulrich, participamos da 4ª edição da festa literária, evento que antecede a feira do livro de nosso município, que este ano se realiza de 4 a 10 de setembro aqui na pacata.

estivemos em duas escolas municipais: pela manhã, na bom jesus; à tarde, na normélio egídio boettcher.

o dia foi muito legal porque, entre outros, por mais de uma hora em cada escola, pudemos responder às perguntas da galerinha, que se mostrou muito interessada na nossa vida de poeta.

também porque pude falar um pouco mais do honkyoku (catarse, 2018), meu novo livro.

a promoção, repleta de méritos, é do sesc.

 

 


todos convidados desde agora

Convite Lançamento Honkyoku


concurso literário mario quintana

mais um concurso literário aberto: a 15ª edição dos concursos mario quintana e concurso fotográfico.

prazos de inscrição vão até 19 de julho e 9 de agosto, respectivamente.

recebe textos inéditos, com temática livre.

categorias são conto, crônica e poesia.

está dividido em duas modalidades: eegional, para autores residentes e domiciliados no rio grande do sul; e nacional, para autores residentes em outros estados.

mais informações por aqui.

 


novo site da ages está muito interativo

a poesia gaúcha e brasileira, como de resto toda a literatura cometida por estes lados, conta, agora, com um importante aliado: o novo site da associação gaúcha dos escritores, a ages.

acesse o site por aqui.

além de moderno e mais bonito, o espaço está muito interativo; ou seja, os associados podem dispor dele para publicizar seus livros e movimentos, o que não é pouco nestes dias desiguais.

é o meu caso.

entra lá. visita. confere.


velho prêmio, novas categorias

por e-mail chega a notícia que estão abertas, de 3 de junho a 9 de agosto, as inscrições para a terceira edição do concurso literário da academia rio-grandense de letras (ARL).

além das categorias “melhor livro de poesia”, “literatura infantil” e “tese ou dissertação sobre literatura “aúcha, premia, este ano, o “melhor romance” e o “melhor livro de narrativa curta” (conto ou miniconto).

fui finalista ao prêmio troféu alceu wamosy, categoria poesia, em 2017, com o livro Quase coisa (Editora Catarse).

notícia beeeeeeeeeeeeeeeeeeem legal.

vai lá. te inscreve.

acesse o regulamento por aqui.


das alegrias de quem escreve

há muitos momentos felizes na vida de um escritor, poeta ou não, e um dos mais legais é quando seus livros chegam da gráfica, “novinhos em folha”; pedindo para serem pegados, lidos, queridos.

e aí a gente fica assim; babando, babando…


%d blogueiros gostam disto: